fbpx

Pietro Marinho, 1997, é tatuador e Ilustrador. Nasceu em São Paulo e começou a tatuar com 15 anos, expandiu suas artes para artes plásticas, paredes e murais, é aficionado em desenvolver sua espiritualidade e inspirar outras pessoas no seu processo de despertar da consciência, trabalha com o AQUI e o AGORA, os chakras e sangue das pessoas. 

Considera suas sessões como Rituais e trabalha com medicinas indígenas e espiritualidade durante suas sessões, quase todos os dias. 

Por que MAHADEVIL? 

Houve um tempo em que todos os homens eram deuses. Mas eles abusaram tanto de sua divindade que Brahma, o Mestre dos Deuses, tomou a decisão de lhes retirar o poder divino: resolveu escondê-lo em um lugar onde seria absolutamente impossível reencontrá-lo. Mas o grande problema era encontrar um esconderijo. Brahma convocou, então, um conselho dos deuses menores para resolver o problema: – “Enterramos a divindade do homem na terra”. foi a primeira ideia dos deuses. – “Não, isso não basta!, pois o homem vai cavar e encontrá-la.” Respondeu Brahma. 

Então os deuses retrucaram:

– “Então, joguemos a divindade no fundo dos oceanos”. Mas Brahma não aceitou a proposta pois achou que o homem, um dia iria explorar as profundezas dos mares e recuperaria. 

Então os deuses menores concluíram: – “Não sabemos onde escondê-la, pois não existe na terra ou no mar lugar que o homem não possa alcançar um dia”. Então Brahma, sem saber mais o que fazer, recorreu a sabedoria do Grande Deus Mahadeva, o Senhor Shiva. – “Eis o que vamos fazer com a divindade do homem, 

falou Mahadeva: vamos escondê-la nas profundezas dele mesmo, pois é o único lugar que ele jamais pensará em procurá-la. O único caminho que o tornará capaz de reencontrar esse poder, será através de Jñana (Conhecimento). Mas não será tão fácil, ele terá de driblar o poder de Maya (ilusão) e de Anava (Egoísmo), e para isso, terá que reaprender a controlar a mente e os sentidos, observando a Lei Divina do Karma (Causa e Efeito).

Então Brahma ordenou que fossem criados os primeiros ashrams e as primeiras escolas de yoga e meditação. Mas mesmo assim, conclui a lenda, o homem continua dando voltas na terra, voando, explorando, escalando, mergulhando e cavando, em busca de algo que se encontra dentro dele mesmo. 

O oposto do divino é profano, então sou devil ao invés de deva, sou o próprio demônio que mora debaixo da minha cama, buscando a divindade, assim como vocês.